US Open 2016 em ação (Papo de Tênis)

US Open 2016 em ação (Papo de Tênis)

129
0
COMPARTILHAR

Olá simpatizantes e amantes do tênis!  ​Estamos de volta! Acabei não fazendo os costumeiros prognósticos das primeiras rodadas do USOPEN 2016, mas vamos com tudo falar da primeira rodada com muitas surpresas e uma rodada para o brasileiro esquecer.

​Os brasileiros Thomaz Bellucci, Rogerinho, Guilherme Clezar e nossa querida Teliana foram eliminados na primeira, uma pena! Pra variar nossas melhores chances serão nas duplas, vamos torcer pelos mineiros Bruno e Marcelo.

​A primeira rodada teve jogos interessantes, vamos destacar alguns:

• Novak Djokovic. Estréia dura do número 1, o polonês Janowics fez o melhor do mundo suar para sair vitorioso. Novak vem reclamando de dores no pulso, porém não explica o que é exatamente, fica a dúvida pra saber o que está acontecendo. Novak vem de altos e baixos já há algum tempo.

• Andy Murray: Estreia tranquila do britânico em 3 sets, começou muito bem.

• Rafa Nadal: Atropelou seu oponente na primeira rodada, o espanhol vem crescendo após seu afastamento por contusão, o touro com a confiança lá em cima se habilita a sair com o troféu, vamos acompanhar os jogos.

• Wawrinka: Estreia tranquila também para o suíço que anda meio cabisbaixo, espero que esse Slam ele jogue melhor, é sempre muito bom ver a sua esquerda de uma mão só fazer estragos.

A primeira rodada feminina, como sempre, com muitas surpresas e várias cabeças de chave voltando para assisti de suas casas os jogos. Foram pra casa a ex-número 1 Ana Ivanovic, Sara Errani, Begu, etc.

As verdadeiras candidatas ao título, Serena, Kerber, Radwanska, Muguruza, estrearam muito bem e prometem ir até o fim em busca do último Grand Slam da temporada. Os jogos tiveram diversos pneus(6/0) e também bicicleta(6/0,6/0) que pra nossa tristeza foi a pernambucana Teliana Pereira que levou essa da espanhola Carla Suarez Navarro.


Uma excelente novidade nesse ano de USOPEN foi o teto retrátil que será acionado sempre que a chuva chegar. Coisa melhor não poderia ter acontecido, pois em anos anteriores o espetáculo ficou “molhado” com tanta chuva, a partir de agora teremos certeza que teremos jogos nos horários pré-determinados e com isso todos ganham, TV, patrocinadores, o público que vai ao estádio e, claro, quem está em casa curtindo. Essa cobertura é apenas para a quadra central, mas já está ótimo. O único Grand Slam que não tem essa possibilidade é Roland Garros.

Weverson Pinheiro

Deixe uma resposta