Papo de Tênis: Coluna da Bolinha Amarela (Weverson Pinheiro)

Papo de Tênis: Coluna da Bolinha Amarela (Weverson Pinheiro)

190
0
COMPARTILHAR

Weverson Pinheiro – colunista

Olá, amantes e simpatizantes do esporte mais apaixonante do mundo! Voltamos essa semana com tudo e vamos falar sobre a temporada do saibro, que está atingindo seu ápice às vésperas de Roland Garros. Nesse momento no circuito estamos na gira europeia nos torneios ATP 1000, e essa semana está acontecendo o torneio do ATP 1000 de Roma, na Itália.
O saibro é, disparado, o melhor piso pra nós brasileiros, pois dele computamos os melhores resultados de nossa história no esporte com a lenda Gustavo Kuerten, tricampeão no Grand Slam francês Roland Garros em 1997, 2000 e 2001. Guga também ganhou algumas edições do masters jogados no saibro e vários torneios espalhados pelo mundo, inclusive o aberto do Brasil. Sendo inclusive nosso último campeão tupiniquim em 2004 quando ainda era jogado na costa do Sauipe-BA. De lá pra cá só deu um misto de estrangeiros vencendo por aqui. 

Nesse piso também na história recente do nosso tênis tivemos o grande fininho, Fernando Meligeni, argentino de nascimento, porém brasileiro na raça e no coração. O incansável fininho chegou às semifinais de Roland Garros em 1999 vencendo dois top 10 na ocasião, o bravo fininho deu trabalho pra muita gente.

Thomas Bellucci precisa de regularidade

Hoje nossa maior esperança do tênis brasileiro, que também prefere o saibro, é o Thomas Bellucci, paulista de Tietê, o mesmo possui quatro títulos no nível de ATP, todos no saibro. Thomas já alcançou o incrível ranking de número 21 do mundo, hoje ele ocupa o bom ranking número 37. O grande problema de nosso canhoto são os altos e baixos pelo qual ele passa no circuito. Bellucci  possui todos os golpes, tem tênis para, em um dia inspirado, vencer qualquer um, ao assistir seus jogos às vezes dá impressão que sente o físico, demostrando um certo cansaço que os tops não demonstram. A notícia boa sobre o Thomas é que na reta final para Roland Garros ele parece que encontrou seu melhor tênis. 

Djoko é o homem a ser batido no mundo
Agora mesmo no ATP 1000 de Roma aplicou um pneu(Ganhou um set de 6 a 0) no número 1 do mundo Novak Djokovic, espetacular! Não lembro de ninguém fazendo isso com Djokovic, realmente espetacular, porém ele não resistiu ao número 1 e sucumbiu em 2 set a 1. Esperamos que ele continue forte e em Roland garros o mesmo continue mostrando seu belo tênis.
Thiago, do Ceará para o mundo!Para um futuro não muito distante ouviremos falar bastante de Thiago Monteiro, nordestino, cearense, ranking 143, que esse ano venceu ninguém mais ninguém menos que Nicolas Almagro (Espanhol fera do saibro) e o francês casca grossa Jo-wilfred Tsonga(top 10!), falaremos muito desse cearense em ascensão no tênis mundial.

Vamos falar dos cachorros grandes do saibro, e claro, encabeçando a lista aparece o grande espanhol Rafael Nadal, disparado o rei do saibro, superou todos os recordes que existiam na terra batida e conquistou em demasia os grandes torneios. A Espanha impressiona com a capacidade de fabricar bons jogadores, especialmente na terra batida. Nadal é 9 vezes campeão de Roland Garros e nos últimos 11 anos só quem conseguiu vencer por lá além de Rafa Nadal foram os suíços maestro Roger Federer(2009) e Stan “the man” Wawrinka(2015). 

Wawrinca, o suiço busca seu espaco

Novak Djokovic, o grande tenista do momento, quase imbatível, ainda persegue o único Grand Slam que lhe falta, será que esse ano vai? Façam suas apostas! Por fora temos o Andy Murray que está surpreendendo e fazendo excelente campanha na terra batida vencendo até o Nadal no ATP 1000 de Madrid(Jogado no saibro). A final desse torneio foi entre Murray e Djokovic e o resultado foi o número 1 campeão, mas Murray teve suas chances para vencer, faltou à famosa força mental que Djokovic tem de sobra e Murray, por vezes, demonstra fazer viagens mentais nos principais momentos da partida. Tudo indica que domingo terá uma nova final entre Djokovic e Murray, quem será que vai levar o ATP 1000 de Roma?


Finalizaremos falando de tênis potiguar que, para este blog, tem uma importância enorme. O nome de nossa promissora tenista, que já é número 34 do Brasil, é a Mariana Mariano, 16, que começou a “brincar” de jogar tênis aos cinco anos de idade. Seu Pai, o empresário Carlos Mariano que também é apaixonado pelo esporte, de alguma forma deve ter influenciado sua escolha, mas nada foi forçado, partiu dela levar a sério o jogo de Tênis, sua mãe, Shirlei Negreiros, também acompanha de perto sua promissora filhota. A tenista Mariana está fazendo bonito no circuito nacional já figurando entre as 40 melhores tenistas do país. Em breve falaremos muito mais sobre ela. Falando ainda sobre tênis potiguar informamos que em breve haverá em Natal uma clínica com Carlos Kirmayr, ex-tenista, responsável por revelar excelentes tenistas brasileiros. Aguardem novidade sobre esse evento.


 

Saudações,

Weverson Pinheiro. Engenheiro Elétrico e amante do tênis.


 

1 COMENTÁRIO

  1. Muito boa coluna, com analise mundial, nacional e regional do tênis de modo claro e objetivo. Com relato de fatos historicos relevantes e ao mesmo tempo discorrendo sobre tenistas com grande potencial no presente e futuro, como Thomas Belluci que tem muita abilidade, força e precisão….mas ainda precisa de solidez mental para chegar a uma final de Grand Slam.
    Então parabenizo o colunista W.Pinheiro pela boa matéria.

Deixe uma resposta