Papo Metabólico: O que é e como evitar o OverTraining

Papo Metabólico: O que é e como evitar o OverTraining

Procurar um acompanhamento profissional é fator primordial para ter problemas nos treinos e manter a periodização. Descanso também é treino e fundamental para obter resultados.

275
0
COMPARTILHAR

Overtraining! No primeiro Papo Metabólico do #BlogdoFreire, o educador físico e professor da OFC Studio, Costa Júnior, comenta sobre #OverTraining . O atleta precisa entender que descanso também é treino, assim como é fundamental ter uma periodização de treinamento bem planejada, uma dieta equilibrada, boas noites de sono e um acompanhamento profissional. Não adianta treinar todos os dias da semana com força total. Uma hora o corpo e a mente vão cobrar o preço desses excessos. Nosso consultor, explica alguns sintomas e cuidados a serem tomados para evitar o Overtraining.

OVERTRAINING

Overtraining é uma condição resultante de se fazer mais exercícios do que seu corpo é capaz de se recuperar. São fatores agravantes uma dieta incorreta e a falta de descanso. O overtraining impede o crescimento muscular e pode até causar a perda de músculos. O problema pode causar um ou mais dos sintomas: Cansaço anormal; Irritabilidade; Falta de vontade de malhar; Perda de apetite; Perda de força; Contusões e resfriados freqüentes; Dores de cabeça; Sede anormal; Insônia; Tremor nas mãos; Depressão; Ansiedade.

running-alimentacion-corredores1

Uma das consequências do overtraining são as lesões musculoesqueléticas, dentre as quais, destacam-se os microtraumas. Eles não causam dor, edema ou impotência funcional, mas devido a repetição excessiva de exercícios, produzem lesões no tecido muscular, o que vai gerar o overtraining.

É importante o atleta dosar o volume e a intensidade dos exercícios e intercalar as cargas para sua capacidade. O volume do treinamento é inversamente proporcional à intensidade. Portanto, quando a intensidade é alta, o volume precisa ser baixo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 150 minutos de exercícios, por semana, seriam suficientes para manter a saúde. Mas, ao considerar a performance, o segredo é alternar as modalidades e dedicar, ao menos, de um a dois dias por semana para o descanso. A parada pode ser ativa também. Realizar alguma atividade de baixa intensidade, como uma caminhada ou ciclismo. Sempre, deve-se respeitar o período mínimo de descanso de 24 a 48 horas entre os treinos.

No entanto, não é apenas a intensidade dos exercícios que favorece a ocorrência dos sintomas do overtraining, as dietas da moda, que restringem certos alimentos, também. Por exemplo, a pessoa que treina com baixas reservas de carboidratos, eleva a circulação de hormônios do estresse e causa perturbação no sistema imune. O recomendado é fazer uma alimentação adequada a cada tipo de treino, favorecendo o equilíbrio corporal, com vitaminas, carboidratos e antioxidantes presentes na dieta. A orientação de um profissional de nutrição também é indicada.

Quando perceber os sintomas de overtraining, reduza ou interrompa as atividades físicas e consulte um médico ou fisiologista do esporte.

(Fonte: Rodrigo, preparador físico da Proaction Sports, e Rômulo Veras, educador físico, e fisioterapeuta, pós-graduado em treinamento desportivo e diretor da RO2 Assessoria Esportiva).

OFCStudio - Evite o OVertraining
Ter uma periodização de treino adequada e o acompanhamento profissional diminui os riscos de OverTraining

 

Deixe uma resposta